Nos últimos anos, tem aumentando a resistência contra os circos que usam animais nos seus shows. Isto é em parte devido à revelação de maus-tratos sistemáticos de animais por um número de grandes empresas como o circo Mary Chipperfield na Grã-Bretanha e Ringling Bros and Barnum & Bailey Circus, nos EUA. Serão estes casos isolados de violação do bem-estar ou deve-se concluir que nos circos estes casos de violações do bem-estar animal são inevitáveis?

Vou discutir esta pergunta brevemente nesta peça.

 

por Fabian Gort.

Fabian é biólogo e tem estudado problemas do bem-estar no circo.

     

Problemas do bem-estar

Os problemas do bem-estar dos animais de circo podem ser divididos globalmente em cinco aspectos, a saber:
(1) alojamento, (2), transporte (3) treino, (4) apresentação e (5) alojamento de inverno. Para analisar se esses aspectos não estão sendo violados, eu tomo como quadro as cinco liberdades, tal como definidas pelos comitê britânicos Brambell para o bem-estar animal (1965). Estas liberdades devem agora orientar a política da UE em matéria de produção animal, para garantir o seu bem-estar:

  1. Liberdade de fome e sede, através do acesso à água fresca e a uma dieta saudável;
  2. Liberdade de desconforto, através de um ambiente adequado, com abrigo e um lugar confortável para descanso;
  3. Liberdade de dor, ferimentos e doenças através da prevenção ou tratamento rápido;
  4. Liberdade para expressar comportamento normal, proporcionando um espaço e instalações adequados, e a companhia de pares;
  5. Liberdade de medo e angústia, por condições e tratamento que evitem a ocorrência de sofrimento mental

É importante distinguir entre violações que podem ocorrer no bem-estar, tais como a prestação tardia de água (a disposição final da água é uma questão de negligência) e as violações de bem-estar inevitáveis, como transporte (transporte de animais é inerente à natureza do circo). Violações do bem-estar de carácter inevitável podem levar à proibição de circos.

 

 

Alojamento

Os animais domesticados podem geralmente ser alojados num recinto espaçoso (resta a pergunta, no entanto, se um cavalo de circo deve ter a liberdade de trotar). Animais selvagens são geralmente mais perigosos e imprevisiveis, por isso há requisitos rigorosos quanto ao seu alojamento. Especialmente para primatas, ursos, elefantes e felinos selvagens, isto significa uma enorme perda de liberdade, de modo que a oportunidade de comportamento normal é muito restrita (liberdade 4). Melhoria é também muitas vezes impossível: Um chimpanzé gosta de trepar, mas não tem para onde nos alojamentos do circo. Devido a tais restrições os animais de circo apresentam um comportamento estereotipado ou apático, o que pode ser considerado como sofrimento mental (liberdade 5).

Transporte

Enquanto o tempo de viagem fôr limitado e as jaulas de transporte estiverem bem e confortávelmente equipadas, alguns vão achar que este é um aspecto aceitável. Ainda há uma ambiguidade na forma como o transporte do circo é estressante (5a liberdade ). Sabe-se que o transporte de animais domésticos de quintas é muito estressante para estes animais. Em circos, entretanto, há frequentemente transportes, e não está claro até que ponto os animais se habituam . Aliás, o transporte de animais é sempre para um novo ambiente que lhes é potencialmente hostil.

     

Treinamento

Sobre a aprendizem dos animais há muita controvérsia. O pessoal do circo afirma que muitas vezes eles treinam seus animais por meio de recompensas e de aproximações succesivas. Isto significa a aprendizagem gradual de comportamento. Um leão a saltar através de um arco de fogo, por exemplo, é primeiro ensinado a saltar com um arco regular. Depois, gradualmente, o tamanho do fogo ao redor do arco é lentamente aumentado , para que o leão se acostume ao fogo.
Os protetores de animais inclinam-se a acreditar que os animais de circo são treinados apenas com torturas. Embora existam casos de angustiantes de tortura, não podem ser generalizados. Relativando: Alguns proprietários de cães ensinam os seus cães por maus tratos a fazerem truques, mas a maioria fá-lo por meio de recompensas. Não se deve esquecer que nem todos os animais são como cães que podem ter uma aprendizagem divertida. Os gatos são muitas vezes teimosos e é improvável que aprendam com recompensas. Para grandes animais selvagens também é importante que um treinador de animais adquire uma posição dominante sobre os seus animais. Um certo grau de violência física parece aqui inevitável (liberdades 3 e 5). Além disso aprender através de aproximações succesivas é para algumas artes dificil ou impossível. Exercício não é necessáriamente um corte de bem-estar, desde que se trabalhe com animais que gostam de aprender (através de recompensas) e que sejam ensinados a fazer habilidades não estressantes.

 

Apresentações

Às vezes, é argumentado que circos com animais são mais amigáveis para os animais do que os jardins zoológicos, pois pelo menos estão distraidos durante as apresentações. No entanto, é assumido que eles gostam de fazer exibição de atos. Essa suposição é infundada, porque normalmente há rotina, atividades compulsivas que podem levar ao ressentimento e até mesmo ao tédio (liberdade 5). Espécies que mostram prazer em realizar atos são a excepção e não a regra.

 

Habitação de inverno

Embora o alojamento de inverno de animais de circo seja muitas vezes insatisfatório para espécies domesticadas, uma boa habitação de inverno é normalmente possível. Para alguns, especialmente animais selvagens, uma habitação inverno é no entanto, problemática, porque não se podem habituar ao clima de inverno holandês. Assim, esses animais ficam num pequeno alojamento onde as condições climáticas podem ser modificadas, ou num alojamento exterior onde o clima não pode ser controlado (liberdade nº 2 e 4).

     

Resumindo

Especialmente para espécies selvagens a habitação durante o Inverno é uma deterioração do seu bem-estar. As espécies domesticadas são muitas vezes mais fáceis de acomodar. A formação não constitui necessáriamente um problema de bem-estar, desde que sejam utilizadas recompensas ou sejam animais como os cães, que gostam de aprender artes. A exibição de artes durante o show demonstra ser uma atividade de rotina para os animais e isso só pode ser considerado como aceitável se o treinador de animais respeitar um animal que não sente vontade de exibir truques. O transporte é uma questão obscura, mas apesar disso a habituação pode ocorrer. Para a maioria dos animais nos seus estágios iniciais o transporte é provávelmente muito estressante.