Acolher em casa um animal de esimação não tem apenas aspectos felizes.
Há certos outros aspectos que têm de ser tidos bem em conta. Alguns exemplos:

  • As responsabilidades
  • O tempo
  • As férias
  • A educaçào
  •  As restrições sociais
  •  Os custos
  •  As tristezas

As responsabilidades
A posse de um cão é uma grande responsabilidade, É preciso ter o cão em conta durante todas as tarefas diárias.

O tempo
Um cão pode alcançar uma idade de dez a quinze anos. Durante estes anos influencia muito a ordem do dia. É preciso estar em casa frequentemente para o levar a passear e para lhe dar de comer.

As saídas, a educação, os jogos, os escovamentos e os mimos custam muito tempo, todos os dias.

Quase todos os cães, tanto os de pelo curto como comprido, perdem pêlos.
A casa inteira tende a encher-se de pêlos, e sobretudo quando está no período da mudança de pêlo é necessário fazer aspirações e escovações diárias para se conseguir manter a casa limpa.

As férias
Durante as férias o cão tem de ficar em algum lado, alguém tem de se ocupar dele.

A educação
Um cão pode ter ou desenvolver problemas de comportamento. Uma boa educação é muito importante, e nem todas as pessoas são capazes de educar bem um cão. Pode por exemplo dar cabo dos móveis. Pode tornar-se agressivo contra pessoas. Alguns cães não obedecem a nada nem a ninguém.

Restrições sociais
Os cães não são aceites em muitos lugares. Por exemplo em muitos espaços públicos, como em lojas, restaurantes, transportes públicos, etc.
Mas também se podem criar problemas nas visitas a amigos ou conhecidos. Muitas pessoas irritam-se com o ladrar dos cães.

Os custos

A aquisição dum animal de estimação pode custar muito dinheiro. Na compra dum cão gasta-se logo umas centenas de euros. Álem disso há que contar com as despesas com a compra dum cesto, da trela e mais acessórios, e é claro, com o veterinário. E também há em cada vez mais lugares os impostos a pagar por possuir animais.

Poucos cães são saudáveis a vida inteira. Com algum azar os custos com os veterinários tendem a acumularem-se. Os tratamentos extra também acabam por custar muito tempo ao dono.

As tristezas
Muitos animais de estimação não vivem muitos anos em comparação com o
homem. Quando morrem a tristeza pode ser muito sentida.

A velhice
Tal como com os seres humanos a sobrevivência na velhice pode ir sendo arrastada quase indefinidamente. Até que ponto estamos dispostos a ir ?

 
Conteúdo
Mantendo animais de estimação
Um exemplo: O cão
A História do cão
O cão actual
Consequências dos exageros dos criadores de "raças"
Prejuízos para o cão
O animal doméstico
As consequências para a animal, e a indústria relacionada
Quem possui animais
Porque se quer ter um animal de estimação?
As desvantagens para o possuidor
Conclusões
Animais domésticos?

Além destas desvantagens para o dono e os seus vizinhos e ambiente há ainda outras consequências.

  • Os cães comem carne produzida pela bio-indústria
  • A questão dos excrementos

A carne produzida pela bio-indústria

Os cães sõ carnívoros e portanto comem carne. Esta carne é quase sempre originária de animais criados pela bio-indústria. Doutra forma a alimentação é geralmente muito cara. Além disso: tornamo-nos responsáveis pela matança de muitos animais só para alimentar o nosso animal de estimação. 

Excrementos

Os excrementos caninos provocam incómodos enormes, e são há anos apontados como uma das três principais fontes de irritação nacional. Há excrementos espalhados por passeios, campos de jogos e recreios, e também em sítios considerados "convenientes" como as pistas para paseantes nos bosques. Além de cheirarem mal, os excrementos acabam por serem pisados ou colarem-se às roupas. A limpeza custa anualmente carradas de dinheiro aos serviços municipais. Em algumas zonas os donos dos cães já são obrigados a limpar os restos em sacos de plástico ou com pás.

Os excrementos são há anos umas das três fontes de irritação nacional

Tomando o cão como exemplo houve vários factores que foram considerados que de modo geral não são tidos em devida consideração. Nem todos, mas todavia a maior parte destes argumentos são também aplicáveis aos outros animais domésticos. Por outro lado, há também outros factores que são relevantes para os outros animais e não para o cão. Há ainda mais consequências para o animal doméstico.