As pessoas gostam dos animais. Umas festinhas aqui, umas palmadinhas ali, os narizes que se enterram nas pelugens fofas e por fim säo tantas as carícias que é de fazer ciúmes às pessoas. Os cäes holandeses recebem mais carícias do que os holandeses. Mas com os devidos limites: aquele lugarzinho que fica lá para trás geralmente näo é incluído. Täo bem visto que seja o amor aos animais, tanto pior ainda é o tabu de ter sexo com eles. Quem cai na tentaçäo cai num charco de desprezo.

Embora considerado extremamente despropositado, é algo que acontece: O sexo com os animais, a consequência última de gostar de, de amar. Na quinta, na casa de prostituiçäo e até mesmo em casa, junto à lareira, mas sobretudo na cabeça das pessoas. A imaginaçäo é o nosso melhor orgäo sexual ..."

Apesar de "sexo com animais" seja um termo de busca com o qual muito visitantes chegaram a esta página, näo temos nada a ver com sexo com animais. A liberdade dos animais inclui o direito a näo serem importunados com as nossas necessidades sexuais. Quando os animais têm a liberdade de se comportarem naturalmente, nem sonham com sexo com humanos Näo existe reciprocidade se o outro näo viver em liberdade.

As fantasias que cada um de nós produz na sua cabeça, ou na proximidade de animais, só cada um de nós e só eles próprios é que sabem. O pior mal é näo considerar nada como um mal.

O que é reprimido tem a tendência a fixar-se. Pelo contrário, é a atençäo honesta e sem preconceitos que liberta. Podemos aceitar os nossos desejos, mas nunca devemos esquecer o conteúdo do autêntico amor: Liberdade. O amor autêntico nunca pode querer danificar.